Artigos
 Substantivos
 Pronomes
 Determinantes
 Numerais
 Adjetivos
 Advérbios
 Conjunções
 Orações Subordinadas
 Verbos
 Orações Condicionais
 Mais Conteúdos [+]

 Exercícios Resolvidos
 Provas de Vestibular
 Simulados On-line
 Atividades

 Laifis de Inglês
 Área dos Professores
 Fórum de Discussão
 Vocabulário
 Tradutor de Palavras
 Matemática no Inglês
 Falsos Cognatos
 Situações Cotidianas
 Dicas de Inglês
 Na Boca do Povo

 Jogos On-line
 Trava-línguas
 Palíndromos
 Piadas
 Títulos de Filmes
 Rimas na Fala

 Inglês no Mundo
 Só Cultura
 Britânico x Americano
 Artigos e Reportagens
 Notícias
 Curiosidades
 Nomes e Apelidos
 Hinos
 Indicação de Livros
 Fale Conosco

 
Busca Geral

 

Inglês e carreira


Descuido no idioma

Na América Latina, os executivos brasileiros estão entre os menos fluentes em inglês*

Quando feitas em uma seleção de emprego, perguntas em inglês deixam boa parte dos brasileiros acanhados, mesmo os mais graduados. É o que aponta pesquisa da Stanton Chase, empresa de recrutamento e seleção de executivos do Grupo Foco. No ranking latino-americano, os brasileiros estão entre os que menos dominam o inglês. No topo da lista ficam os mexicanos, argentinos e chilenos - respectivamente, 92%, 86% e 67% deles estão aptos a usar o idioma no trabalho. No Brasil, o índice é de 64%, pouco abaixo da Colômbia e da Venezuela, por exemplo.

- O brasileiro preocupa-se primeiro em se formar ou fazer uma especialização. O idioma é sempre deixado de lado - compara Iônio Mello, diretor-executivo da Stanton Chase.

Em três escolas de idiomas pesquisadas em Brasília, mais de 60% dos alunos estão empregados e vêem no segundo idioma uma oportunidade de ascensão na carreira. Segundo Cláudio Garbi, dono das franquias, os jovens só começam a se dedicar ao inglês no Ensino Médio, quando se interessam de fato pelo mercado de trabalho.

- Quando conseguem um emprego, abandonam o curso porque não conseguem conciliar estudo e trabalho - destaca o empresário.

Garbi afirma que já existe um aumento na procura por cursos diante da Copa de 2014, que vai exigir profissionais ainda mais preparados para atender ao turismo.

- Fica cada vez mais evidente para os alunos que o conhecimento é imprescindível a fim de se garantir o sucesso. Muitos já se dedicam para os testes de proficiência - completa Maria Lúcia Willemsens, diretora-superintendente da Cultura Inglesa.

Sem sair do país, os profissionais podem prestar esses exames em escolas de idiomas (veja quadro). Mas só o certificado de fluência não abre portas. Há empresas que testam, na prática, a habilidade dos profissionais em um segundo idioma.

- A maioria dos candidatos coloca no currículo que tem fluência, mas leva um susto quando descobre que a entrevista vai ser em inglês - relata Ana Christina Almeida, consultora do Grupo Foco RH.

Por isso, a primeira dica é deixar claro no portfólio o real domínio da língua estrangeira. E certificar-se antes do que será cobrado na seleção.

- O comum é aplicar exame oral, mas há empresas que fazem a prova escrita. Algumas exigem até exames de proficiência - alerta Virgínia Gomes de Caldas, gerente de recursos humanos da empresa de recrutamento e seleção Spot.

 


Prepare-se:
NA PONTA DA LÍNGUA
As dicas de consultores para testes de inglês durante a seleção:


    > Deixe claro, no currículo entregue, qual é o seu verdadeiro domínio da língua estrangeira. Há empresas que costumam checar a fluência em testes orais e escritos.


    > Treine antes da entrevista. Por mais que você tenha fluência, há o nervosismo tradicional em uma entrevista de emprego. Tome cuidado para não se prender a respostas prontas. Você pode ser surpreendido.


    > Leia, um dia antes da entrevista, artigos e publicações voltadas para a área da vaga pretendida. Além de ficar a par dos termos que certamente serão usados pelo recrutador, você vai ao teste atualizado.


    >  Não misture linguagem formal com informal. Privilegie a linguagem menos coloquial. Lembre-se de que você precisa convencer o selecionador. E passar seriedade conta pontos na seleção.

Fontes: Virgínia Gomes de Caldas, gerente de recursos humanos da Spot, e Ana Christina Almeida, consultora do Grupo Foco RH

 

*Artigo do Correio Braziliense publicado no caderno "Emprego e Oportunidades" do jornal Zero Hora de 17/08/08..

Curta nossa página nas redes sociais!

 

 

Mais produtos

 

Sobre nós | Política de privacidade | Contrato do Usuário | Anuncie | Fale conosco

Copyright © 2008-2014 Só Língua Inglesa. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por Grupo Virtuous.