Artigos
 Substantivos
 Pronomes
 Determinantes
 Numerais
 Adjetivos
 Advérbios
 Conjunções
 Orações Subordinadas
 Verbos
 Orações Condicionais
 Mais Conteúdos [+]

 Exercícios Resolvidos
 Provas de Vestibular
 Simulados On-line
 Atividades

 Laifis de Inglês
 Área dos Professores
 Fórum de Discussão
 Vocabulário
 Tradutor de Palavras
 Matemática no Inglês
 Falsos Cognatos
 Situações Cotidianas
 Dicas de Inglês
 Na Boca do Povo

 Jogos On-line
 Trava-línguas
 Palíndromos
 Piadas
 Títulos de Filmes
 Rimas na Fala

 Inglês no Mundo
 Só Cultura
 Britânico x Americano
 Artigos e Reportagens
 Notícias
 Curiosidades
 Nomes e Apelidos
 Hinos
 Indicação de Livros
 Fale Conosco

 
Busca Geral

 

Inglês para a área de TI

Inglês é fundamental

Jacqueline Lafloufa
In: http://br.noticias.yahoo.com/especiais/mercadoti_artigo2

Houve um tempo em que saber inglês era um diferencial para a carreira profissional. Hoje, em especial na área de TI, o conhecimento do idioma é fundamental, já que grande parte das atividades relacionadas envolve seu uso. Essa necessidade básica advém da globalização do mercado, que atualmente conta com multinacionais que elegem o inglês como língua 'universal' dentro da empresa. "Em multinacionais, muitos dos líderes e gestores são estrangeiros, fazendo com que as reuniões e comunicações internas sejam realizadas em inglês, mesmo que você utilize a língua local para conversar com seus colegas de mesmo nível hierárquico", explica Bruno Franciscon Mazzotti, recém-formado em Ciência da Computação pela Universidade de São Paulo (USP), campus São Carlos.

Em geral, grande parte dos processos seletivos para a área de TI requer inglês, ainda que em nível 'instrumental' – quando não se tem o domínio do idioma, mas é possível compreender assuntos, porém sem muitos detalhes – para compreender manuais, textos técnicos e para utilizar programas desenvolvidos nessa língua. Nas multinacionais, alguns dos processos seletivos costumam ter uma etapa em inglês, como forma de avaliar a desenvoltura do candidato no idioma. "São provas e exercícios realizados em inglês, e a desenvoltura no idioma é certamente um destaque", conta Guilherme Junqueira, Analista de Desempenho da Inmetrics.

Logicamente, o conhecimento do inglês não é algo determinante na carreira de um profissional talentoso. "Muita gente que só fala português consegue se destacar nas empresas, principalmente se forem empreendedores. Estes não 'precisam' falar uma língua estrangeira porque, no momento em que precisarem, podem contratar alguém que o faça", pontua Bruno Mendes dos Santos, produtor de games da Tectoy Digital. Contudo, o idioma está tão infiltrado na área de TI que é complicado conseguir atravessar a formação acadêmica sem ao menos ter de lidar com o idioma de maneira 'instrumental'. "Eu diria que 99,9% da documentação de TI está disponível em inglês. Se não houver fluência, é necessário ao menos compreender o inglês instrumental. Quem ocupa cargos gerenciais, precisa do inglês para dar conta do relacionamento com clientes e fornecedores internacionais", lembra dos Santos.

Para os jovens graduandos da área, o básico pode ser aceitável, mas professores e profissionais do ramo destacam que apenas o conhecimento dos jargões técnicos pode não ser suficiente no dia a dia dentro das empresas. "Com a globalização da economia e a ocorrência cada vez mais frequente de projetos que envolvem clientes em outros países, o nível de conhecimento de inglês exigido dos profissionais de TI vem aumentando gradativamente", lembra Roberto Carlos Mayer, presidente de Assespro São Paulo e diretor da MBI. "O conhecimento técnico somente não é suficiente para que o profissional lide bem com a demanda do trabalho.

De modo geral, os jovens conhecem os termos técnicos e jargões da área. O que lhes prejudica é a pronúncia inadequada desses termos, o que pode causar sérios ruídos de comunicação", alerta Lizika Goldchleger, gerente acadêmica da escola de idiomas Cultura Inglesa. "O cotidiano de um profissional jovem da área de TI em uma multinacional envolve interagir intensamente em inglês com clientes e colegas de várias partes do mundo. O que falta, normalmente, é a fluência e a assertividade na hora de explicar um problema, dar uma solução com clareza e objetividade, dar e pedir esclarecimentos, concordar e/ou discordar de forma assertiva, porém educada, e saber lidar com situações de alto grau de urgência de forma calma e precisa", esclarece ela.

Um jeito de dar uma 'arrancada' no inglês é fazer um curso de imersão no exterior. A grande vantagem é que ao passar uma temporada em um país anglófono, o esforço para falar em inglês é diário, já que praticamente todas as suas atividades precisam ser realizadas no idioma. Mas se você não tem essa possibilidade, não se preocupe: cursos nacionais podem te dar o mesmo traquejo que uma viagem internacional. A dica é se dedicar e se esforçar. "Não são exceções os casos de alunos brasileiros que nunca viajaram [para fora do país] e que têm extremo sucesso e níveis de proficiência avançados", afirma o professor doutor Marcos Cesar Polifemi, diretor do Centro de Linguística Aplicada da Yázigi Internexus. "Uma forma de abreviar o tempo de aprendizagem é organizar-se e dedicar pelo menos 30 minutos por dia para autoestudo", sugere Lizika, da Cultura Inglesa.

Quem já tem inglês em nível básico pode se interessar também por cursos específicos para a área de TI, que dão ênfase aos termos técnicos e assuntos discutidos no setor de TI. "Trabalham-se os jargões da área e também o vocabulário relacionado à carreira e a entrevistas de emprego em cursos voltados tanto para a leitura como para a conversação e compreensão oral", esclarece Charles Niza, sócio-fundador da escola IT Passport, especializada em cursos de inglês para a área de tecnologia.

É importante frisar também que, atualmente, ter desenvoltura em outro idioma além do inglês é considerado um diferencial. Isso porque mais do que uma ferramenta de comunicação, o conhecimento de outro idioma demonstra vontade de crescer. "Saber outra língua significa ter ao seu alcance muito mais informação disponível e mostrar que tem disposição para aprender além do necessário para sua especialidade profissional", afirma Bruno Mendes dos Santos, da Tectoy Digital. E ao se esforçar para falar o idioma nativo de um estrangeiro, ganha-se muito em termos de relacionamento. "Poucas coisas deixam um estrangeiro não anglófono tão feliz do que falar a língua dele. Já conquistei a confiança de alemães, suíços e austríacos porque falava em alemão com eles, mesmo que só um pouco, pois a língua-padrão em emails e conferência é o inglês. Assim como os brasileiros, eles entendem que falar a língua deles significa que você se interessa pelo mundo deles", revela dos Santos.

Curta nossa página nas redes sociais!

 

 

Mais produtos

 

Sobre nós | Política de privacidade | Contrato do Usuário | Anuncie | Fale conosco

Copyright © 2008-2014 Só Língua Inglesa. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por Grupo Virtuous.